Sidney chama atenção para atraso na merenda escolar | Coluna Aconteceu - Marcelo Guerra

Sidney chama atenção para atraso na merenda escolar

22/08/2017 às 19h08

Na sessão plenária desta terça-feira (22), o deputado Sidney Leite (Pros), chamou a atenção para uma denúncia que ele recebeu da cidade de Nova Olinda do Norte, onde várias escolas estaduais estão com o estoque baixo de merenda escolar. Em alguns casos, as crianças estão recebendo bilhete para os pais avisando da necessidade de levarem complemento para a merenda escolar. O deputado pediu que a secretaria de Estado da Educação (Seduc) apure a denúncia.

“Essa é uma situação constrangedora para muitas famílias do interior. algumas têm condições de mandar uma fruta ou um pão com manteiga para alimentar os filhos, mas, tem uma grande parcela que não dispõe das mesmas condições e a refeição oferecida na escola é a mais importante que ela vai ter durante o dia”, alertou o parlamentar.

Sidney pediu apoio do líder do governo na assembleia legislativa para levar a denúncia até o secretário de educação. “Sabemos que o Amazonas requer uma logística complicada para que essa merenda chegue ao interior e, por essas questões, pode ocorrer problemas. Por isso, peço que essas informações sejam apuradas e corrigidas”, encerrou Leite.

Ascom/ALE - Felipe Nascimento

Leia mais


19/11/2017 - 15:52
A SUFRAMA encerrou neste domingo (19) sua participação no Salão Duas Rodas 2017, que estava ocorrendo em São Paulo (SP), no Centro de Exposições São Paulo Expo, desde segunda-feira (13).
14/11/2017 - 19:14
A diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Amazonas (SJP/AM) ingressou na segunda-feira, 14 de novembro, junto a Justiça do Trabalho no Estado com uma Reclamatória...
14/11/2017 - 12:43
Foi lançada oficialmente na tarde desta segunda-feira (13/11), a Campanha Natal Solidário 2017. Com o tema: Um Natal Para Todos é Cristão, é Ser Humano e Juntos Podemos Mais!, a ação visa arrecadar...
13/11/2017 - 18:51
A famosa "malemolência" ou preguiça baiana, na verdade, não passa de racismo, segundo concluiu uma tese de doutorado defendida na USP. A pesquisa que resultou nessa tese durou quatro anos.

Coluna Aconteceu - Portal do Holanda