Municípios

Em Nhamundá, voluntários realizam primeira etapa do projeto Manejo Sustentável de Quelônios

Voluntários do ‘Projeto Manejo Sustentável de Quelônios’ idealizado na comunidade do Corocoró, zona rural de Nhamundá, realizaram esta semana a primeira etapa do projeto que consiste no recolhimento, identificação e proteção dos ovos dos quelônios. O trabalho desse monitoramento ecossistêmico é realizado pela ‘Associação Corocoró Ambiental’, com apoio da Prefeitura de Nhamundá através da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (SEDEMA).

Nesta etapa, os ‘agentes de praia’, identificação dada aos vigilantes dos ninhos, permanecem 24 horas por dia no tabuleiro de desova, coibindo a predação destes ovos. De acordo com o coordenador do projeto, Otávio Filho, mais de 400 tartarugas subiram para desova durante os dias que a equipe esteve na localidade. ‘Agradeço aos amigos ‘agentes de praia’ que realizam um trabalho muito bom aqui na ‘Ilha da Coroa’, de acordo com as etapas do projeto, a coleta, inclusão depois de 60 dias e a soltura. Antes esses ‘agentes’ não tinham apoio para realizarem o projeto, mas hoje, graças o apoio da prefeita Marina Pandolfo e do vice-prefeito, Neto Carvalho, eles estão tendo esse suporte’, finalizou Otávio.


O projeto ‘Manejo Sustentável de Quelônios’ nasceu em 2008, sob coordenação do IBAMA do município de Juruti/PA, por meio do ‘Projeto Quelônios da Amazônia’, em 2013, o município de Nhamundá assumiu a coordenação, trazendo consigo a parceria do Projeto Pé-de-Pincha da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), apresentando uma nova moldura para a realização das atividades. Desde a criação do projeto, até o dias atuais, mais de 183.000 (cento e oitenta e três) mil filhotes de quelônios, das espécies tracajá (Podocnemis unifilis), tartaruga (Podocnemis expansa) e Pitiú (Podocnemis sextubeculata) foram devolvidos à natureza. Na última soltura, em fevereiro de 2020, mais de 40 mil filhotes voltaram para seu habitat natural.

Para o voluntario Pedro Santarém, ver novamente as tartarugas desovando durante o dia é uma grande felicidade. ‘Era muito raro a gente ver tartarugas desovando durante o dia, hoje me sinto muito feliz pudendo ver de perto que a realidade é outra’. Santarém ainda comenta como é o processo de recolhimento dos ovos. ‘Quando elas desovam, a gente vem, recolhe, faz a transferência dos ovos para uma chocadeira, onde a gente prepara para depositar esses ovos, depois a gente marca o tempo da inclusão, e quando eles nascem, pegamos antes dele ir para a água para que todos sejam devolvidos de tomar segura ao habitat natural deles’, finaliza.

A Comunidade do Corocoró

A comunidade rural São Sebastião do Corocoró, está localizada na margem direita do Rio Amazonas, área de várzea do município de Nhamundá. Atualmente é habitada por cerca de 125 famílias o que totaliza 446 pessoas. O deslocamento para a localidade é realizado somente via fluvial. O tempo de deslocamento varia de acordo com a sazonalidade dos rios, haja vista, quando os mesmos estão em período de vazante o trajeto é realizado entre 3h à 12h de viagem, dependendo da embarcação utilizada, porém, durante a cheia dos rios, esse tempo fica entre 1h30 a 6h de viagem.

O objetivo do projeto é manter a perpetuação das espécies de quelônios dentro do município de Nhamundá. A terceira etapa, que consiste em devolver à natureza os filhotes, geralmente é concluída com festejos em comemoração a devolução desses animais, reunindo os comunitários e colaboradores do projeto.

+++++++

Fotos: Niick Joander/Prefeitura de Nhamundá

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.