Municípios

Exposição fotográfica “Hexkaryana: história e cultura indígena em Nhamundá” segue aberta à visitação pública

Reunindo mais de 100 fotografias que retratam a vida e cultura indígena dos povos Hixkaryanas, da Terra Indígena (TI) Nhamundá-Mapuera, Alto Nhamundá, a exposição “Hixkaryana: história e cultura indígena em Nhamundá” segue aberta à visitação pública. A exposição acontece no anfiteatro da Praia da Liberdade, de segunda a sexta-feira, das 8h00 às 13h. As fotografias são assinadas pelos fotografos, Michael Amazonas e Nick Joander, sob curadoria do professor da UEA, Diego Omar.

A exposição é organizada pela prefeitura, através da Secretaria de Turismo e Cultura (Semtuc), em parceria com o professor da Universidade Estadual do Amazonas (UEA), Diego Omar, e é uma forma de valorizar as origens ancestrais e os saberes do povo indígena da TI Nhamundá-Mapuera. A exposição conta com fotos e artefatos que mostram um pouco da beleza, das formas de vida e da cultura material dos Hixkaryanas.

O professor Diego Omar, comenta sobre a importância da iniciativa para a sociedade local. “A gente fica muito feliz de poder trabalhar e requalificar um espaço público, dá utilização a ele, com participação população, com circulação de pessoas. Montar essa exposição foi um desafio, porque, a gente não tinha muito material bibliográfico sobre os Hixkaryanas e a gente não sabia muito bem o que encontrar na incursão que fizemos entre eles, e foi muito bom, voltamos muito surpreso e com material riquíssimo” completa Omar.

Durante pouco mais de um mês de exposição, centenas de nhamundaenses e visitantes já foram até o local prestigiar o material. Para quem deseja fazer visitas fora do horário de funcionamento, necessitam de agendamento, por meio da Semtuc.


Para o visitante, professor Marcelo Miranda, o tema e a iniciativa são de suma relevância. “Primeiramente, é extremamente relevante essa exposição, devido que a gente conhece até convive com eles (indígenas) mas não conhece esse legado que eles deixaram. O olhar fotográfico é algo impressionante, ele vê em beleza naquilo que a gente não consegue ver. Então, uma exposição dessa natureza aqui é de uma uma beleza imensurável e, muito importante, principalmente as informações que ela transfere”, finaliza Miranda.

+++++++

Fotos: Adriano Barros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.