Sem categoria

SEPROR colabora com estudo aprofundado sobre produção florestal

E76FC670-8574-4DAE-BE9F-FE29732E2A8C.jpeg

 

 

O Secretário de Produção Rural do Amazonas, Dedei Lobo, recebeu na tarde desta quarta-feira, 20, na sede do Sistema Sepror, os especialistas do Instituto Avaliação, entidade sem fins lucrativos contratadas pela SEMA – Secretaria de Meio Ambiente do Amazonas,  para desenvolver um diagnóstico sobre florestas e produção florestal. 

 

Esse estudo aprofundado depois de concluído vai embasar o desenvolvimento e a criação da Politica de Produção Florestal a ser adotada pelo estado do Amazonas.   Para que a proposta seja robusta e efetiva, materializando-se em um documento fidedigno à realidade da Amazônia em diversos aspectos, como o extrativismo vegetal, animal e mineral, manejo florestal,  Aquicultura entre outras atividades desenvolvidas no Estado. 

“Esperamos que esse estudo aprofundado sirva para que nós possamos chamar  atenção dos nossos políticos para as necessidades da nossa região e principalmente das pessoas que vivem na nossa região”,disse Dedei Lobo.

 

Diversas instituições são convidadas a participar ativamente do processo de construção das propostas. “A proposta é inclusiva e Participativa. Tudo e todos serão levados em consideração na sintetização do documento final”, explica Alexandre Brasil, coordenador especialista do Instituto Avaliação.  O processo é conduzido de maneira a captar o maior numero de informações possíveis, para uma posterior formatação do ‘Documento de Sala de Situação’, finalização da primeira etapa dos trabalhos. O diagnóstico, que trará a opinião de especialistas, mestre, doutores e muitos relatos/dados de quem trabalha diretamente no setor produtivo do Estado. “Levantamos a bandeira de que o Amazonas precisa do Zoneamento Florestal e de produção, de mais recursos do governo do estado e principalmente aproveitar todo o potencial que temos no interior”, completa Dedei.

 

A Amazônia, maior floresta do mundo, é uma das regiões mais cobiçadas do planeta.  A maior parte dela, patrimônio Brasileiro e desse patrimônio, a maior parte é administrada pelo Estado do Amazonas, com obrigações e necessidades. Desenvolver projetos que aliem a preservação e o desenvolvimento financeiro da região é um desafio. Diante de tantas necessidades, como por exemplo a de uma nova matriz econômica para o Amazonas, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente, dentro do Profloram (Projeto de Prevenção e Combate ao Desmatamento e Conservação da Floresta Tropical no Estado do Amazonas), financiado pelo KFW, banco alemão que investe recursos em defesa dos sistemas ecológicos em todo o mundo. “Será bom , na hora de defendermos nossas idéias, que esse diagnóstico esteja pronto, pois assim teremos as provas que precisamos para a valorização de tudo o que temos no Amazonas, descentralizando muitas coisas da capital e valorizando o interior”, finalizou Dedei.