Educação Indígena

Sidney Leite e Secretário de Educação do AM recebem lideranças indígenas

O secretário de Estado da Educação do Amazonas, Vicente Nogueira, recebeu na última terça-feira (17), os vereadores Eder Lopes e Anderson Yanomami do município de São Gabriel da Cachoeira e uma equipe de professores e representantes da Comunidade Canadá Rio Ayari.

A reunião aconteceu após uma conversa prévia que o professores indígenas tiveram mais cedo com o deputado federal Sidney Leite (PSD), cuja pauta principal foi o pedido para que a escola municipal Eeno Hiepole do Canadá fosse estadualizada.

A escola conta com cerca de 350 alunos, entre moradores natos da comunidade de Canadá e alguns estudantes de 17 comunidades do médio e alto rio Ayari, e indiretamente – com a medida da estadualização da escola – irá beneficiar cerca de 1.200 pessoas de 19 comunidades da bacia do Ayari.

O secretário Vicente Nogueira ouviu as principais demandas dos líderes e destacou que a Secretaria está à disposição para ouvir e atender o mais rápido possível cada um dos pedidos apresentados. “A Secretaria da Educação é parceira das comunidades indígenas do Amazonas e vamos trabalhar para tentar resolver, da melhor forma possível, cada uma das demandas relacionadas à educação e formações dos professores que atuam em nossas terras indígenas”, disse.

Uma das principais demandas debatidas no encontro foi a implantação de internet banda larga, bem como vários outros acessórios como telões de 50 polegadas, equipamentos musicais, kits de energia solar, tablets para os estudantes, dentre outros.

Para o deputado federal Sidney Leite (PSD) a estadualização de escolas indígenas é responsabilidade do estado para que, segundo ele, implemente uma política de educação que assegure, de maneira uniforme para a comunidade indígena, o direito a uma educação escolar diferenciada, específica, intercultural e bilíngue.

Sidney sugeriu que a atual direção da escola, o corpo docente e os servidores de apoio deverão ser contratados temporariamente pelo estado e mantidos até a criação da carreira de magistério indígena estadual e realização de concurso para provimento dos cargos.

Para os professores indígenas Nelson Thomé, Isaías Jairo, Eliseu Antônio, Pacho Lopes, Ernesto Lopes e Phaul Sila Thomé, a falta de apoio e recursos tecnológicos retrata bem a inconveniência de que a educação indígena permaneça nas mãos dos municípios. “Além de não assegurarem nenhuma educação diferenciada para a comunidade do Canadá, toda vez que há mudança de prefeito, é uma enxurrada de disputas relacionadas com as nomeações, ditadas pelos interesses da política local, interesses que deveriam passar longe da escola”, afirmou.

Participante da reunião, o vereador Eder Lopes, destacou o apoio do prefeito Clóvis Curubão (PT) que, segundo ele, jamais se esquivou em ajudar todo o segmento educacional indígena em São Gabriel da Cachoeira. “Quando existe parceria entre prefeitura, governo federal e governo estadual, tudo flui mais fácil e quem ganha com isso são nossos alunos”, afirmou o vereador satisfeito com o resultado da reunião.